Malware para Mac permite que hackers espionem webcams e teclados

O Mac pode ser um dos sistemas mais seguros do mercado, mesmo assim, os riscos ainda existem. Um novo malware para macOS foi descoberto, essa semana, por um pesquisador da Synack. Entre as ameaças, o software malicioso permite que webcams, teclados e outros recursos sejam rastreados por hackers. Acredita-se que 400 Macs foram infectados.

Dois iMacs.

O malware, que ainda não tem nome, foi encontrado pelo pesquisador da Synack, Patrick Wardle, recentemente, porém, acredita-se que estava ativo há quase uma década, como informa a ArsTechnica. De acordo com o pesquisador, o malware é uma variante do Fruitfly, descoberto e bloqueado em janeiro, pela Apple, em uma atualização de sistema.

Após analisar o código do malware, encontrando domínios para onde as informações eram desviadas, Wardle acredita que a variante do Fruitfly atingiu cerca de 400 Macs, em sua grande maioria, nos Estados Unidos. Na análise do pesquisador, não há registros de ataques à computadores corporativos, deixando em duvida o verdadeiro motivo dos ataques:

— Eu não sei se isso é apenas uma pessoa entediada ou alguém com más intenções — disse Warble.

Após a análise, os domínios foram denunciados a autoridades, sendo retirados do ar, logo em seguida, o que permite a neutralização do malware – assim como aconteceu com o WannaCry, em maio desse ano. Entretanto, basta criar novos domínios e alterar os códigos, para infectar outros computadores, novamente. Em outras palavras: a ameaça ainda existe.

Até o fechamento dessa matéria, nenhuma atualização foi anunciada pela Apple, para corrigir as brechas de segurança.

Bruno De Blasi

Carioca, é estudante de jornalismo e aficionado pelo mundo Apple. Participou do iHelp BR nos seus primórdios, retornando tempos depois. Atualmente, é editor da revista Vinte&Um e prisioneiro do Kindle.

Publicações Recentes