Apple anuncia três novos iPhones: 8, 8 Plus e X — a edição especial de 10 anos

Após mais de um ano com vários rumores circulando na internet, os novos iPhones finalmente chegaram! A Apple anunciou hoje para a imprensa três novos modelos já esperados: iPhone 8, iPhone 8 Plus e iPhone X. Enquanto os dois primeiros podem ser considerados apenas uma evolução natural dos anteriores 7 e 7 Plus, o iPhone X muda praticamente todo o conceito do smartphone da Apple — considerado um modelo especial em comemoração aos 10 anos do iPhone.

iPhone X (mas se pronuncia “dez”)

Não dá para dizer que o iPhone X é novidade, isso porque vazaram “milhares” de informações sobre o aparelho nos últimos meses. Mesmo assim, o smartphone é completamente diferente de todos os outros iPhones já lançados até hoje. Logo de cara, a mudança mais perceptível: o design. Ao invés de alumínio, o iPhone X é todo construído em vidro com as laterais em aço inoxidável. Disponível apenas nas cores cinza espacial e prateado.

O tamanho do novo iPhone é quase o mesmo de um antigo iPhone 7 com tela de 4.7 polegadas, sendo 143,6 x 70,9 milímetros contra 138,3 x 67,1 milímetros. Apesar disso, com a redução nas bordas, a tela ficou muito maior, atingindo 5.8 polegadas — mais do que um iPhone Plus possui — e agora ocupa praticamente todo o espaço frontal.

Como já era esperado, a tela do aparelho é OLED (a Apple chama de “Tela Super Retina”). Se você não conhece a tecnologia, ela já está presente na tela do Apple Watch e, basicamente, significa que os pixels são iluminados individualmente. Dessa forma, ao invés de “simular” tons mais escuros quando necessário, parte da tela têm o brilho reduzido ou até mesmo é apagada. Assim, o preto fica mais profundo e o iPhone ainda consegue economizar mais energia.

A resolução também já havia sido cogitada anteriormente: 2436 x 1125 pixels (acima do padrão 2K), com 458 pixels por polegada. Para comparação, a tela do iPhone 7 é pouco maior que o padrão HD (1334 × 750) e com 326 pixels por polegada, enquanto a tela do iPhone 7 Plus é Full HD (1920 x 1080) com 401 pixels por polegada. De acordo com a Apple, a tela do iPhone X é capaz de exibir cores muito mais nítidas e reais, com tecnologia HDR.

Assim como o iPad Pro, o novo iPhone também conta com a tecnologia True Tone na tela, que ajusta a temperatura da cor branca automaticamente conforme a luz do ambiente em que o dispositivo está sendo utilizado.

E na prática, o que a nova tela significa para o usuário? Mais espaço na vertical, principalmente. O único espaço “vazio” na frente fica por conta de um corte no topo, onde ficam as câmeras frontais, alto-falante e demais sensores. Para desocupar ainda mais a área principal da tela do iPhone, as laterais do “corte” exibem informações como o horário, sinal da operadora e bateria.

O tão comentado fim do botão Início se tornou uma realidade. Para melhor aproveitar o espaço da tela, a Apple decidiu adotar gestos similares aos que existem no iPad com o iOS 11. Fechar aplicativos no iPhone X depende apenas do usuário arrastar uma barra cinza na parte de baixo até o topo da tela. Algumas funções como chamar a Siri, abrir o Apple Pay e até mesmo clicar as fotos foram movidas para o botão lateral, que agora não funciona mais como liga/desliga — isso agora pode ser feito apenas tocando na tela apagada.

Tudo isso traz inúmeras possibilidades, porém certamente os usuários devem demorar um pouco até se acostumarem com a mudança.

E o Touch ID, como fica sem o botão Início? Na verdade, ele não fica. O leitor biométrico foi dispensado e substituído por um novo sistema avançado de reconhecimento facial, chamado de “Face ID”. São duas câmeras frontais (chamadas de TrueDepth) responsáveis por fazer o escaneamento detalhado de rostos em 3D — ou seja, nada de conseguir burlar o sistema com uma foto estática, algo bizarro que acontece em aparelhos de uma certa concorrente.

A Apple promete que o Face ID é muito mais rápido e seguro do que o Touch ID. São necessários apenas alguns milissegundos para que a face do usuário seja identificada para desbloquear o dispositivo. O recurso funciona de forma tão natural que não é nem mesmo necessário olhar diretamente para a tela do aparelho, como o próprio iHelp BR já havia divulgado com exclusividade em agosto deste ano.

A mágica do Face ID, porém, está na forma como ele funciona. Ao contrário do Touch ID, que precisava ser acionado pelo usuário, o sistema de reconhecimento facial está sempre verificando em segundo plano. Isso significa que, ao pegar o iPhone na mão para usá-lo, o aparelho já vai identificar se a pessoa é ou não o dono para liberar o acesso — não sendo necessário tocar ou encostar em qualquer botão.

Isso também permite que o iPhone X entenda quando você está realmente utilizando o celular para que ele diminua automaticamente o som das notificações ou não desligue a tela por engano. Há até mesmo uma função que bloqueia a tela automaticamente assim que você deixa de usar o iPhone, algo que o iHelp BR também divulgou com exclusividade anteriormente. Assim como o Touch ID, o Face ID também funciona para desbloquear aplicativos e efetuar pagamentos com o Apple Pay.

Mas além de apenas servir como um método de autenticação, o reconhecimento facial traz várias novas possibilidades para o iPhone, especialmente em conjunto com as funções de realidade aumentada. O iMessage, por exemplo, agora conta com o “Animoji” — “uma maneira personalizada de enviar mensagens animadas que usam sua voz e refletem suas expressões faciais”.

Será possível criar seus próprios Emojis animados em 3D com seus movimentos faciais e até mesmo com sua voz. O recurso identifica e reproduz inúmeros movimentos como: piscar os olhos, levantar as sobrancelhas, mexer os lábios, sorrir, abrir ou fechar a boca e muito mais. Os resultados exibidos na apresentação do celular foram bem surpreendentes por conta da naturalidade dos movimentos.

E falando em câmera frontal, a qualidade das imagens capturadas também deve melhorar. Apesar de manter os 7 Megapixels de resolução, graças ao conjunto de duas lentes para o Face ID, a Apple conseguiu implementar o Modo Retrato, que analisa o cenário da foto em três dimensões para reproduzir o desfoque de uma câmera profissional, também para as selfies.

O recurso Modo Retrato, inclusive, recebeu diversas melhorias por conta das novas câmeras traseiras do iPhone X. É possível simular, por exemplo, vários efeitos de luz nas imagens feitas em Modo Retrato com os seguintes filtros: Luz de Contorno, Luz Natural, Luz de Palco, Luz de Palco Mono e Luz de Estúdio. Os efeitos surpreendem com sua qualidade, especialmente um que deixa o fundo da foto todo escuro. Nós chegamos a encontrar referências ao recurso antes dele ser oficialmente anunciado.

Mas o destaque mesmo fica para a câmera traseira. Apesar de continuar com 12 Megapixels, os novos sensores conseguem captar ainda mais luz — especialmente na lente teleobjetiva, que agora conta com abertura de f/2.4. E, finalmente, as duas lentes traseiras contam com estabilizador óptico. Isso significa que as imagens e vídeos capturados em ambientes escuros serão aprimorados. De acordo com a Apple, o Flash LED traseiro também foi aprimorado para destacar o primeiro plano sem ocultar o fundo.

O iPhone X também é capaz de gravar vídeos na resolução 4K com incríveis 60 quadros por segundo, ou 1080p em 240 quadros por segundo. Com isso, os vídeos ficam mais suaves e aqueles em super câmera lenta, principalmente, terão ainda mais qualidade. A novidade já havia sido divulgada com exclusividade pelo iHelp BR em agosto deste ano.

As novas câmeras foram desenvolvidas com foco no ARKit — a tecnologia de realidade aumentada presente no iOS 11 e que está profundamente implementada nos novos iPhones. Para isso, é claro, também depende muito do processador, outro componente que passou por grandes avanços neste ano. O novo chip A11 Bionic conta com seis núcleos, garantindo um desempenho até 70% melhor em comparação com a versão anterior.

Além disso, dentro do chip A11 Bionic, há um coprocessador de inteligência neural, que será utilizado pelo telefone para aprimorar o uso de funções como a Siri, Face ID e outros aplicativos com funções de inteligência artificial. A Apple garante que, mesmo com tantas novidades, o iPhone X consegue ter até 2 horas extras de bateria em relação ao iPhone 7.

E, por falar em bateria, a Apple apresentou também seu mais novo acessório: um carregador por indução magnética para o iPhone X — o AirPower. A ideia é quase a mesma que já existe no Apple Watch e também em outros celulares: é só encostar o iPhone na base para recarregar a bateria. O que chama a atenção no produto, porém, é que ele também é capaz de carregar ao mesmo tempo um Apple Watch e os AirPods. Infelizmente, o AirPower será vendido separadamente e chegará às lojas apenas em 2018. Apesar disso, a Apple adotou o padrão Qi de carregamento sem fio, que já existe em vários outros aparelhos.

iPhone 8 e 8 Plus

E quem diria que a Apple realmente iria apresentar três novos iPhones! Além do iPhone X, a empresa também anunciou hoje o iPhone 8 e iPhone 8 Plus. Não há muito o que falar sobre eles, já que os holofotes ficaram na edição comemorativa. O iPhone 8 também ganhou um novo corpo feito de vidro, mas com as laterais ainda em alumínio. As telas continuam quase as mesmas das gerações anteriores: 4.7 e 5.5 polegadas, porém com tecnologia True Tone.

iPhone 8 e 8 Plus disponíveis nas cores: cinza espacial, prata e dourado.

O Touch ID continua presente nos aparelhos e eles não contam com a nova tecnologia de reconhecimento facial 3D. Mesmo assim, o iPhone 8 traz o processador A11 Bionic mais rápido e novas câmeras traseiras que também gravam vídeos em 4K 60fps, 1080p 240fps e são compatíveis com os novos filtros de iluminação do Modo Retrato — neste caso, apenas para o iPhone 8 Plus. O novo carregador por indução magnética AirPower e outros no padrão Qi também serão compatível com o iPhone 8.

Vídeos promocionais

Confira os vídeos promocionais dos novos iPhones que foram divulgados pela Apple hoje.

Preços e disponibilidade

Com os novos iPhones, a Apple atingiu um novo patamar de preços, algo que já era esperado há um bom tempo. O iPhone X chegará às lojas de alguns países apenas em novembro deste ano, e os valores nos Estados Unidos são: U$999 para a versão com 64GB de armazenamento e U$1.149 com 256GB.

Já os iPhones 8 e 8 Plus entram em pré-venda nesta sexta-feira, dia 15 de setembro, e chegam às lojas de alguns países na sexta da próxima semana, dia 22 de setembro. Os valores oficiais nos Estados Unidos para o iPhone 8 e 8 Plus são:

  • iPhone 8 de 64GB: U$699
  • iPhone 8 de 256GB: U$849
  • iPhone 8 Plus de 64GB: U$799
  • iPhone 8 Plus de 256GB: U$949

Os valores e a data de lançamento no Brasil ainda não foram confirmados. Porém, de acordo com o jornalista Thássius Veloso, que esteve no evento para a imprensa hoje, a Apple comentou que os novos iPhones chegam ao Brasil ainda neste ano — provavelmente assim que os aparelhos forem homologados pela ANATEL.

Mais informações sobre os aparelhos estão disponíveis no site oficial da Apple.

Filipe Espósito

Filipe é o criador do iHelp BR. Sempre fascinado por tecnologia, começou a se interessar pela Apple após ganhar o primeiro iPod touch, em 2007. Com a falta de conteúdos sobre a Apple no Brasil, na época, decidiu abrir o iHelp BR para compartilhar dicas e notícias. Entre seus dispositivos mais recentes estão um iPhone 6 Plus, MacBook Pro de 13 polegadas, Apple Watch Series 2 e os novos AirPods. Atualmente está cursando graduação em Jornalismo.

Publicações Recentes